90% das pequenas indústrias não conseguem dinheiro em banco, diz pesquisa

Fale com um especialista agora gratuitamente!

Não te mandaremos spam!

Nesse artigo você vai ver:
90-das-pequenas-industrias-nao-conseguem-dinheiro-em-banco-diz-pesquisa

A pouca oferta de crédito é o maior problema enfrentado atualmente por empresas que precisam de caixa para atravessar o período de crise econômica provocada pelas medidas de restrição à circulação das pessoas tomadas pelo governo para conter o novo coronavírus no país.

Pesquisas da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas) e do Simpi (Sindicato das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo) apontam que mais de 90% dos empresários estão com dificuldades para levantar recursos junto aos bancos. Esses empréstimos são fundamentais, apontam as entidades, para enfrentar o problema mais crítico no curto prazo, que é a preservação de empregos.

Entre as micro e pequenas indústrias, o Simpi levantou que 91% não estão conseguindo acesso a crédito neste momento. E, entre os empresários que estão obtendo financiamento, apenas 3% conseguiram capital de giro novo, enquanto 4% estão tendo recursos por meio de linhas de crédito que já tinham antes da chegada da crise.

Aumento de calotes

O levantamento, realizado com 208 empresas entre os dias 13 e 14 de abril, mostrou que uma parcela de 45% das empresas já registra aumento da taxa de inadimplência, ou seja, no número de calotes e na falta de pagamento, em relação aos registros de antes da pandemia.
Para 42% dos empresários, a inadimplência se manteve igual a antes da crise, enquanto 13% não sofrem com o problema da inadimplência por enquanto.
“O impacto da crise do coronavírus nas micro e pequenas indústrias de São Paulo já é amplamente negativo para a maioria”, afirma o presidente da entidade, Joseph Couri. Segundo ele, 44% dos dirigentes de micros e pequenas indústrias afirmam que a situação dos negócios irá piorar nos próximos dias, enquanto para 39% o quadro ficará estável. Apenas 14% estão otimistas e esperam alguma melhora, enquanto 3% não opinaram sobre o tema.

Governo e bancos precisam atuar, pede associação

Também na indústria de máquinas, o problema do crédito é destaque entre os empresários. Segundo levantamento da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas) com associados entre os dias 30 de março e 3 de abril, um universo de 32,4% dos associados da entidade já haviam procurado as agências bancárias na intenção de acessar capital de giro, apenas um terço conseguiu o crédito.
O levantamento mostrou que os motivos informados para a não obtenção das linhas foram taxas de juros elevadas, cadastro negativo, excesso de garantias exigidas e mesmo ausência de informação.
A pesquisa identificou que 79% das empresas fabricantes de máquinas e equipamentos precisam fazer uso de capital de giro adquirido no mercado bancário para cumprir suas obrigações com folha de salários, pagamento de fornecedores, impostos, parcelas de financiamentos assumidos e outras despesas fixas.
O presidente da Abimaq, José Veloso, disse que para contornar o aumento dos riscos que o setor financeiro se recusa a assumir, o governo deveria atuar oferecendo garantias, implementando medidas como a suspensão da exigência de cadastro negativo, direcionando o depósito compulsório liberado exclusivamente aos bancos compromissados em conceder o crédito.

Quer ajuda para abrir uma empresa ou ter um CNPJ?

A Amorim Contábil pode ajudar você na abertura de sua empresa, deixe seus dados e nossos especialistas entrarão em contato.

“O setor financeiro também precisa mudar sua postura em relação ao seu cliente na concessão de crédito, considerando, além das garantias convencionais, o potencial do negócio do tomador. O sistema bancário brasileiro, diferentemente do estabelecido em países de economia dinâmica, está muito longe de assumir riscos e, principalmente, de valorizar o potencial do negócio de seus clientes”, afirmou o presidente executivo da Abimac.

Segundo a Abimaq, as demissões no setor podem chegar a 15% do nível de emprego dessa indústria, o que significaria 200 mil vagas fechadas, entre empregos diretos e indiretos.

Fonte: UOL
Classifique nosso post

Categorias

Categorias

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Cta Post.png - Amorim Contábil | Contabilidade em Goiás

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Contabilidade Especializada Para Produtores Rurais. Garantindo O Crescimento Sustentável (1) - Amorim Contábil | Contabilidade em Goiás

Contabilidade para Produtor Rural: o que você precisa saber?

Garanta uma gestão segura com contabilidade para produtor rural Garanta sucesso em sua área de atuação com o apoio de profissionais certos. Saiba como a contabilidade para produtor rural pode ser fundamental! Você sabia que o setor do agronegócio é extremamente competitivo? Por isso, ter apoio de uma contabilidade é

Contabilidade Para Supermercados. Maximize Lucros E Reduza Custos (1) - Amorim Contábil | Contabilidade em Goiás

Contabilidade para Supermercados: qual a importância para sua rotina?

Descubra como a contabilidade para supermercados pode aumentar seus lucros Potencialize os resultados do seu negócio. Saiba como elevar a lucratividade e reduzir custos com uma contabilidade para supermercados! Diante de um setor competitivo que é o de supermercados para o setor do agronegócio, é preciso ter uma gestão segura

Icms St No Estado De Goiás, Como Seu Supermercado Pode Aproveitar - Amorim Contábil | Contabilidade em Goiás

ICMS ST em Goiás: Dicas para Supermercados

ICMS ST no estado de Goiás, como seu supermercado pode aproveitar?  Saiba como seu supermercado pode economizar e melhorar sua eficiência operacional com o ICMS ST no estado de Goiás. No cenário tributário brasileiro, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é um dos principais impostos estaduais, e

Defina A Cnae Para Farmácia De Manipulação E Drogarias Corretamente! - Amorim Contábil | Contabilidade em Goiás

CNAE para farmácia: como definir a mais adequada?

CNAE para Farmácia: como definir a mais adequada? Entenda o que é, quais as principais opções e como o apoio especializado pode ajudar na definição da CNAE farmácia mais adequada para manipulação e drogarias! Você sabe o que é CNAE Farmácia e qual a importância de escolher o código adequado

4 Incentivos Fiscais Do Estado De Goiás Para Produtores De Laticínios E Como Se Enquadrar (1) - Amorim Contábil | Contabilidade em Goiás

Incentivos fiscais: Os 4 principais para produtores de laticínios

4 Incentivos fiscais para produtores de laticínios Veja quais os principais incentivos fiscais para produtores de laticínios e como aproveitá-los Se você é um produtor de laticínios no estado de Goiás, você pode se beneficiar de alguns incentivos fiscais que o governo estadual oferece para estimular o desenvolvimento do setor. 

Recomendado só para você
A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (22), em votação…
Cresta Posts Box by CP

Área do Cliente

Amorim contábil